Especialistas debatem ciência, tecnologia e inovação nas universidades públicas

Preocupados com a atual conjuntura política, o grupo planejou algumas ações de mobilização para 2019

Por Joyce Santos

O Recife deverá sediar, em março de 2019, seminário para discutir a produção científica nas universidades brasileiras. A proposta de realizar o evento veio a partir de encontro, no último sábado (24/11), no Rio de Janeiro, que contou com a presença dos diretores da ADUFEPE, Edeson Siqueira e Fernando Nascimento, e dos docentes Hélio Mattos (UFRJ), Remi Castione (UnB) e do coordenador da Capes, Luís Fernandes (UFRJ).

A pauta da reunião foi o futuro dos setores de ciência, tecnologia e inovação nas universidades, motivo hoje de preocupação para os professores destas instituições. Além do evento no Recife, foi proposto, ainda sem previsão de data, outro seminário, em Brasília, como atividade a ser realizada pelo GT de Ciência, Tecnologia e Inovação da Proifes Federação.

Para o presidente da ADUFEPE, Edeson Siqueira, a troca de experiências com outros profissionais é importante para orientar ações em prol da área de produção científica. “Estamos buscando ouvir grandes cientistas e estudiosos sobre essa questão, uma vez que ela é uma questão estratégica para a produção científica das nossas universidades com implicações na soberania nacional, ainda mais na conjuntura atual que tem se demonstrado muita adversa”, diz ele.

Edeson destaca, ainda, a relevância da participação de educadores, como Luís Fernandes, em meio a essa discussão: “O professor Luís Fernandes é um grande especialista em ciência, tecnologia e inovação, com grandes serviços prestados ao Brasil neste tema. Ele foi presidente da Finep, secretário executivo do Ministério de Ciência e Tecnologia, e agora ocupa o cargo de coordenador geral do Conselho da Capes. Como um grande entendedor da área, nos ajudará na discussão de possíveis caminhos para construção de uma política de Estado para os três setores”.

Para o presidente da associação, a existência de debates do tipo é especialmente enriquecedora para o Proifes (Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituição Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico). “Isso é importante não só para ADUFEPE como também para o Proifes, uma vez que este é um debate que interessa a todas as universidades brasileiras”, relata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *