Diretores da ADUFEPE passam a integrar grupo da Frente Nacional Popular

Os diretores da ADUFEPE, Edeson Siqueira e Fernando Nascimento, participaram na última segunda-feira (26) de encontro em Copacabana, no Rio de Janeiro, para articulação com integrantes do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos (IBEP), fundado em 2013. Na ocasião os diretores estiveram com o chanceler Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores e da Defesa e, o professor Roberto Amaral, ex-ministro da Ciência e Tecnologia. A reunião partiu de uma proposta de ativação do IBEP e nela foram assinaladas possibilidades de ampliação para uma rede nacional, que inclui Pernambuco e outros estados do Nordeste (Ceará, Paraíba, Piauí).

Para o presidente da ADUFEPE, Edeson Siqueira, participar de núcleos de formação política como o IBEP é fundamental diante da conjuntura atual. “Ao se debruçar sobre a história e os estudos políticos podemos gerar reflexões que nos auxiliem neste momento atual. A formação política, não é doutrinação, mas salutar para nos dar liberdade e mostrar quais caminhos seguir daqui pra frente”, disse Edeson.

Segundo Roberto Amaral O IBEP pode e deve desempenhar o duplo papel de aglutinação e formulação teórica como fundamento de nossa resistência ativa e de nossas ações. “O Instituto se torna, mais do que nunca, uma necessidade, para atender às urgências de nos manter articulados, de ensejar condições de reflexão e estudos, e de abrir campo para a atuação política concreta”, disse Roberto Amaral, ao convocar os professores da ADUFEPE para a reunião.

IBEP – O Instituto tem como presidente o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães e dentre os fundadores do IBEP estão Mauro Santayana, Samuel Pinheiro Guimarães, Ceci Juruá, Gizlene Nader, Saturnino Braga, Eny Moreira, Pedro Celestino, Renato Guimarães, Otávio Velho e Carlos Lessa.

Neste ano eleitoral o Instituto realizou diversos eventos, incluindo uma série de debates no Clube de Engenharia. Uma das propostas do evento, que tem ganhado força entre as lideranças políticas e intelectuais, é a constituição de uma Frente Nacional Popular não-partidária, integrando diversos setores da sociedade civil, como sindicatos, organizações populares e demais movimentos sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *