Professores, estudantes e técnico-administrativos vão às ruas contra os cortes da educação

Professores paralisaram atividades nesta quarta-feira (15) em todo o Brasil.
Além de participar dos atos em Vitória e Caruru, ADUFEPE leva seis ônibus para manifestação no Recife.

Professores, estudantes, técnico-administrativo, trabalhadores em educação e representantes de movimentos sociais e de centrais sindicais participaram de manifestações em defesa das universidades federais,  da pesquisa científica e do investimento na educação básica no Recife, Caruaru e Vitória de Santo Antão. Os atos reuniram pessoas de idades diversas que expressaram  indignação contra o corte de recursos que vão da educação básica até as instituições federais de ensino superior. O corte de recursos foi anunciado pelo Ministério da Educação na semana passada.

A ADUFEPE participou ativamente das mobilizações nesses três municípios. Foram preparados materiais de mobilização como faixas, cartazes e camisas  para que os docentes participassem da paralisação. Além disse, foram disponibilizados seis ônibus que levaram professores e estudantes para a grande manifestação realizada no centro do Recife. A estimativa é de que 20 mil pessoas participaram do ato unificado. Entre eles estavam o presidente da ADUFEPE, quatro representantes da diretoria,

“O que presenciamos aqui em Recife e ao longo do dia em todo o Brasil são professores e estudantes se mobilizando em defesa da educação e contra o desmandes do Plano nacional de Educação”, disse Edeson Siqueira, presidente da ADUFEPE que participou do ato no Recife.

Segundo ele, além de ocupar as ruas a ADUFEPE junto com outras associações de docentes do Brasil, integram o Observatório do Conhecimento, uma rede que monitora políticas e investimentos para o ensino superior. Além disso, O Observatório se articula em DF com os parlamentares da Frente parlamentar em pela valorização das universidades e com a Comissão de Educação de C&T da Câmara dos Deputados.

Recife:

A concentração do protesto aconteceu em frente ao Ginásio Pernambucano, tradicional colégio público estadual, de onde os manifestantes partiram, às 16h30, da Rua da Aurora. Ao longo do protesto estudantes gritavam com palavras de ordem: “A nossa luta é todo dia. Educação não é mercadoria”. enquanto a passeata passava pelo centro da capital pernambucana, a adesão, em prol da educação, vinham dos acenos nas janelas do prédios das Avenidas Cruz Cabugá, Conde da Boa Vista, Dantas Barreto e Pátio do Carmo.

Caruaru:

O ato unificado em Caruaru começou logo cedo na quarta-feira pela manhã (15). Ao lado de cerca de cinco mil pessoas, o vice-presidente da ADUFEPE, Fernando Nascimento esteve nas ruas com os docentes do Centro Acadêmico do Agreste (CAA/UFPE). “A mobilização contra os cortes de 30% nas universidades federais em Caruaru mobilizou docentes, estudantes e a sociedade civil. As pessoas estão reconhecendo o momento crítico e se juntando ao movimento de defesa da universidade pública, gratuita e de qualidade. Vamos à luta!”

Já mobilização em Vitória de Santo Antão ficou para o período da tarde, no início da Avenida Mariana Amália. O ato teve participação de sindicalizados da ADUFEPE, integrantes do IFPE e do Centro Acadêmico de Vitória (CAV/UFPE), onde fica a subsede da Associação.

Vitória:

 

Universidade nas ruas – Nesta quarta-feira (15), docentes e alunos da UFPE ocuparam a Praça Dr. Arnaldo Assunção (Praça do Engenho do Meio) durante o ato Universidade nas Ruas com atividades de educação, promoção e prevenção à saúde. Coordenada pelos departamentos de Fonoaudiologia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Psicologia da UFPE, com o apoio da ADUFEPE e do Observatório do Conhecimento, a ação levou para o espaço aulas públicas e realizou mais de 100 atendimentos gratuitos na área de saúde.

Entrevista Edeson Siqueira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *