Homenagem as mulheres lota auditório do CAA

Com o apoio da ADUFEPE, o evento “Somos todas Marielle” lotou o auditório da Pedagogia do Centro do Agreste (CAA/UFPE), na noite desta terça-feira (12), em Caruaru. Organizado pela professora de Pedagogia, Allene Lage, o encontro trouxe quatro mulheres batalhadoras para relatarem um pouco das suas trajetórias de vida, que inspiraram as mais de cem pessoas presentes. Para promover o evento, a ADUFEPE fez divulgação de material informativo sobre a Lei Maria da Penha, que inclui ainda os canais de denúncia de violência contra mulheres.

As mulheres da Marcha Mundial das Mulheres (MMM) entraram no auditório entoando palavras de ordem (“Seguiremos em marcha, até que todas sejam livres”) e ao som dos tambores abriram alas para as outras mulheres do evento. Em seguida, mulheres do Movimento dos Sem Terra (MST) surgiram com lenços vermelhos e punhos erguidos, enquanto foi lido uma poesia sobre mulheres de luta e, por fim, elas cantaram a música “Maria, Maria”, de Milton Nascimento.

Na abertura foi feita uma homenagem pelo vice-presidente da ADUFEPE, Fernando Nascimento, à pedagoga Allene Lage, com a entrega da obra Pensadora, do artesão do Alto do Moura Gilliard Simões. Ao lado de Fernando, estavam a professora Jaqueline Barbosa, coordenadora do curso de Pedagogia, e a diretora do MST Rubineuza de Souza.

“Na conjuntura atual de retrocesso e desta disputa com o conservadorismo, os números do feminicídio tem crescido e a reforma da previdência também prejudica as mulheres. Nós avançamos e resistimos ao longo da história, então temos que continuar neste embate contra a ideologia conservadora que assola o país.”, disse Rubineuza, que ao final do encontro fez uma fala antes de descerrar uma placa em homenagem a Marielle Franco, no hall do bloco de pedagogia.

Um dia antes de completar um ano pela morte da vereadora carioca Marielle Franco, o evento trouxe histórias de vida de mulheres que resistiram ao longo do tempo como a artista e integrante do MMM Gabi da Pele Preta, a articuladora do coletivo LGBT Flávia Tereza (MST), Elizabeth Silva, doutora pela Espanha (USAL) filha de cortadores de cana da Zona da Mata, e a dona de casa Cida Alves, ativista do grupo de mulheres Em busca da Sabedoria do Alto do Moura.

O encontro foi mediado por Allene Lage, coordenadora do Observatório dos Movimentos Sociais, que atua com entidades sociais há 13 anos no Centro do Agreste (CAA-UFPE). O evento das mulheres é realizado todos os anos pelo Observatório e este ano teve o apoio do MST e da Adufepe. “O objetivo de homenagear Marielle, é por conta da lentidão pela apuração do assassinato e também para lembrar que essas diversas mulheres continuam na luta sempre, sejam elas estudantes de Pedagogia, do segmento LGBT ou ativistas do MST e de outros movimentos sociais”, disse Allene.

Confira como foi o encontro completo no vídeo do Facebook da Adufepe:

https://www.facebook.com/adufeperecife/videos/602704023535650/?__tn__=%2CdkC-R&eid=ARCzmF07m9NIlHBacvgP6UvERqYEQbQVTaZDiVMatJO8Cl2HB_dQO3MSsgJYsgKzoWDphLJxzCtJGVN6&hc_ref=ARTIldUBXYoLMryRiSus8ag5Qt0JC85ZpkRL-fsxXzv4jNQ1h-hfXxviDn1pZ_v2uzQ

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *