DIAP aponta proposições que ameaçam os servidores públicos

Um levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) indica quais as principais proposições em tramitação no Congresso Nacional e que afetam a vida do servidores públicos.

Dentre as proposições, merecem destaque:

  1. o aumento de contribuição previdenciária de 11% para 14%;

  2. 2) adiamento de reajuste dos servidores;

  3. 3) reestruturação de carreiras;

  4. 4) extinção de cargos;

  5. 5) piso inicial de salário de servidor no valor de R$ 5 mil;

  6. 6) revisão de pagamentos de verbas como auxílio-alimentação.

PDV e insuficiência de desempenho 


O Programa de Desligamento Voluntário (PDV) destinado ao servidor da Administração Pública federal direta, autárquica e fundacional. Trata-se da Medida Provisória 792/17 que também abarca a licença sem remuneração, inclusive, prevendo que seja por interesse público, e ainda inclui a jornada de trabalho reduzida.

Outros temas da agenda negativa para os servidores já estão em discussão, em particular, no Senado Federal, que aprovou na CCJ, o PLS 116/17, da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), que prevê a demissão do cargo por insuficiência de desempenho do servidor público.

Na Câmara, encontra-se o PLP 248/98, em estágio bastante avançado de tramitação. O projeto da era FHC aguarda votação no plenário da Câmara dos Deputados. Caso seja aprovada essa proposta, o texto segue para sanção presidencial.

Reforma da Previdência 


A PEC 287/16, do Poder Executivo, que prejudica os servidores públicos poderá ter sua discussão retomada na Câmara dos Deputados. O relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) e a equipe de governo, diante da dificuldade de aprovar a proposta deve apresentar um texto alternativo e consensual com os partidos da base do governo.

Caso seja colocado em votação, a proposta deve ser apreciada em dois turnos no plenário da Câmara dos Deputados sendo necessários 308 votos em cada turno e depois segue para exame no Senado Federal, cuja discussão inicia-se pela Comissão de Constituição e Justiça; e depois no plenário da Casa, com exigência de votação em dois turnos, sendo necessários 49 votos em cada turno.

Segue abaixo quadro resumido das principais ameaças e logo ao final apontamos também a título de informação, as oportunidades que estão no Legislativo:

AMEAÇAS

1) Dispensa por insuficiência de desempenho (PLP 248/98 – Câmara);

2) Estabelece critérios de valorização do mérito no Regime Jurídico dos servidores públicos da União, suas autarquias e fundações públicas (PLS 288/15 – Senado);

3) Remuneração variável para servidores públicos com base no mérito em todos os níveis de administração (PEC 400/14 – Câmara)

4) Perda do cargo público por insuficiência de desempenho do servidor público estável (PLS 116/17 – Senado);

5) Estabelecimento de limite de despesa com pessoal (PLP 1/07 – Câmara);

6) Regulamentação das Fundações Estatais (PLP 92/07 – Câmara);

7) Regulamentação do direito de greve dos servidores (PLS 710/11 e PLS 327/14 – Senado; e PL 4.497/01 – Câmara);

8) Extinção do abono de permanência para o servidor público (PEC 139/15 – Câmara);

9) Reforma da Previdência (PEC 287/16 – Câmara);

10) Critérios para concessão de remuneração variável a servidor da União, dos estados e munícipios (PEC 400/14 – Câmara);

11) Programa de Desligamento Voluntário destinado ao servidor da Administração Pública federal direta, autárquica e fundacional / licença sem remuneração / jornada de trabalho reduzida (MP 792/17 – Comissão Mista do Congresso);

12) Fiscalização administrativa pelo setor privado (PLS 280/17 – Senado);

13) Orçamento 2018, com suspensão de concursos e contratação de aprovados (Ploa 20/17 – Congresso);

14) Aumento de contribuição previdenciária de 11% para 14% (Em elaboração pelo governo);

15) Adiamento de reajuste (Em elaboração pelo governo, necessário alterar a legislação aprovada);

16) Reestruturação de carreiras (Em elaboração pelo governo);

17) Extinção de cargos (Em elaboração pelo governo);

18) Piso inicial de salário de servidor no valor de R$ 5 mil (Em elaboração pelo governo); e

19) Revisão de pagamentos de verbas como auxílio-alimentação (Em elaboração pelo governo).

OPORTUNIDADES

1) Regulamentação da Convenção 151 da OIT – Negociação coletiva no serviço público (PL 3.831/15 – Câmara; PLS 121/13 e PLS 287/13);

2) Direito de Greve (PLS 120/13 e PLS 287/13 – Senado)

3) Extinção da contribuição de inativos (PEC 555/06 – Câmara);

4) Definição de assédio moral no serviço público (PL 8.178/14 – Câmara);

5) Estabelecimento de aposentadoria em condições especiais que prejudiquem a saúde ou integridade física (PLP 472/09 – Câmara);

6) Definição de aposentadoria especial para atividade de risco (PLP 330/06 – Câmara);

7) Garantia de aposentadoria por invalidez com proventos integrais (PEC 56/14 – Senado);

8) Correção de distorções da reforma da Previdência e extensão da paridade (PEC 441/05 – Câmara);

9) Revogação do decreto que permite a substituição de servidores grevistas (PDC 641/12 – Câmara);

10) Regulamentação de direito de greve dos servidores públicos (PLS 287/13 – Senado);

11) Normas de equidade de gênero e raça, de igualdade de condições de trabalho, de oportunidade e de remuneração no serviço público (PL 238/15 – Câmara);

12) Estabelecimento de data certa para a revisão geral anual da remuneração dos servidores públicos (PEC 260/16 – Câmara);

  1. Criação do Vale-Cultura para o servidor público federal (PLS 69/17 – Senado);

  2. 14) Revisão geral anual não inferior à variação inflacionária (PEC 220/16 – Câmara).

Fonte: DIAP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *