Adufepe reforça luta pela educação com ato público na Rua da Aurora

Dentro das atividades previstas no segundo dia da Paralisação Nacional pela Educação e Soberania, atos públicos por todo o país endossaram a luta contra os cortes de bolsas de estudo e contingenciamento dos investimentos anunciados pelo Governo Federal. Em Pernambuco, movimentos sociais e sindicais se reuniram na Rua da Aurora, na região central do Recife, para chamar a atenção da população sobre o impacto das decisões do Ministério da Educação no desenvolvimento de pesquisas, ciência, tecnologia e na manutenção das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes).

Nas palavras do diretor da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco, Audísio Costa, o objetivo dos atos é a defesa da universidade pública, gratuita, de qualidade e acessível para toda a população. “É importante que todos estejamos juntos na mobilização local e também com representação em Brasília para que os cortes de verba na educação que estão sendo feitos, bem como os cortes nas bolsas nos vários níveis de graduação, sejam revogados para garantir educação para o povo brasileiro. É um direito de todos”, pontuou.

O movimento reuniu estudantes, professores e integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na luta contra sete pontos essenciais que são alvos constantes das medidas do Governo Federal: contra os cortes na educação, em defesa da ciência e tecnologia, pelo cumprimento do pagamento de bolsas do CNPq, por autonomia universitária, contra o projeto de financiamento previsto pelo Future-se e a privatização do ensino público, contra a retaliação às entidades estudantis e também por liberdade de expressão.

Primeiro dia da Paralisação Nacional foi marcado por atos em Brasília

As atividades de combate aos ataques à educação deflagrados pelo Governo Federal ganharam o país e o Congresso. No primeiro dia da Paralisação Nacional pela Educação e Soberania, a direção da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (Adufepe) esteve presente nos atos em Pernambuco e em Brasília. Junto à Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC) e demais membros do Fórum Nacional Popular de Educação, o presidente da Adufepe, Edeson Siqueira, participou de uma reunião com o presidente da Comissão Mista do Orçamento no Senado, Marcelo Castro (MDB/PI), sobre a situação orçamentária das universidades federais, CNPq e CAPES 2020. Durante a Marcha pela Ciência, que aconteceu às 16h, no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, as entidades pressionaram os parlamentares a modificarem a Proposta de Lei Orçamentária Anual enviada ao Congresso Nacional pelo Ministério da Economia. Antes disso, houve visitas e reuniões com deputados e senadores para a entrega de uma carta com propostas para as áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). Participaram do ato, cerca de 40 instituições de ensino superior de todo o país.

Leia o documento entregue no Parlamento sobre o Orçamento 2020 (clique)

Foi uma manifestação em defesa da educação, ciência e tecnologia. Foi bastante produtivo, pois nós levamos os movimentos que fazem a defesa da educação para dentro do Congresso. Isso nos dá esperança de que possamos conseguir bons resultados na luta contra o desmonte no ensino público brasileiro e financiamento da nossa produção científica.

Edeson Siqueira
Presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *