Aprovada e constituída a Frente em Defesa da Universidade Pública

A ADUFEPE e a União dos Estudantes de Pernambuco (UEP), lançaram na última terça-feira, dia 19/12, a Frente Pernambucana em Defesa da Universidade Pública. O ato de lançamento ocorreu durante o seminário Ciência sem Cortes, promovido pela ADUFEPE. A mobilização tem como objetivo ampliar o debate sobre o corte do orçamento para as instituições públicas, uma vez que os recursos destinados para os próximos anos não suprem a demanda para atender o custeio anual das universidades.

 A frente é composta por representações de diversas entidades e instituições. Além da ADUFEPE, integram a frente UEP, CUT-PE, CTB-PE, UNE, ADUPE, ADUFERPE, SINDUPE,  SIMPROJA, SINTEPE, DCE da Rural, DCE da UNIVASF, DCE da UPE, Associação Nacional dos Estudantes de Pós-Graduação, Deputada Estadual Teresa Leitão (PT) e Deputada Federal Luciana Santos (PC do B), que irá articular um seminário na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados da qual é membro titular. Este evento marcará as atividades do Movimento Nacional Conhecimento sem Cortes no próximo ano. No próximo dia 18 de janeiro (quinta-feira), às 16h, no auditório da ADUFEPE, representantes dessas entidades participarão da primeira reunião da Frente em Defesa da Universidade Pública.

Para os integrantes da mobilização, além de prejudicar o programa de expansão de vagas no ensino superior com o corte de verbas, o Governo Federal adota medidas que apontam para o desmonte e privatização do segmento como a aceleração do processo de terceirização, implantação do Programa de Demissão Voluntária (PDV), redução drástica de verbas a pesquisa, a iniciação cientifica e a suspensão de programas de graduação e pós-graduação no exterior, com o Programa Ciência Sem Fronteiras. Essas medidas obrigam as universidades a captarem financiamento junto as empresas privadas, desobrigando o Estado deste papel.

Para o vice-presidente da ADUFEPE, José Edeson de Melo Siqueira, a frente vai organizar seminários e estudos que contraponham os ataques e campanhas de difamação, encadeados pelo governo ilegítimo de Temer em combinação com o aparato midiático, sobre a importância das universidades públicas. “Vamos promover mobilizações conjuntas com a participação dos estudantes, pressão política institucional sobre os parlamentares do Estado em defesa das instituições e do serviço público”, disse.

O diretor do Sindicato, Audisio Costa, faz um chamamento a entidades de educação e científicas, movimentos sociais, populares e sindicais e a comunidade acadêmica para que contribuam e participem da frente. “ Estamos mantendo contatos com outras entidades e instituições para intensificar a luta em defesa das universidades.

Para a diretora da  UEP , Laleska dos Santos,  o seminário e a Frente serão também atividades de organização  para os estudantes atuarem na defesa da universidade e resistir aos retrocessos. ” Vamos participar juntos com a ADUFEPE e as demais entidades contra a política que sacrifica o futuro das instituições públicas. Os prejuízos no campo da pesquisa e da ciência são irreparáveis”.

O presidente da ADUFEPE, Augusto Barreto, destaca a importância da educação superior gratuita. “ As instituições de ensino superior são patrimônios da sociedade, construídas com esforços coletivos ao longo de anos e historicamente financiadas pelo poder público. Não podemos assistir ao desmantelamento de nossas instituições em silêncio e de braços cruzados”, enfatizou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *